sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Páscoa, Festa de ressurreição de Jesus!




Infelizmente, porém, essa data na maioria das vezes é lembrada pelas famílias, inclusive cristãs, apenas pela distribuição de coelhos e ovos de chocolate, ou porque desconhecem o seu verdadeiro significado bíblico, ou porque preferem fazer-se de “inocentes”, a fim de evitarem maiores conflitos com os filhos, amigos ou familiares, que sempre insistem em dizer: “não há nenhum problema...”; “são apenas símbolos inocentes...”; “afinal de contas, todos praticam desta forma...”.


Coelho coloca ovos? e de chocolate???

Por causa do comércio, o diabo tenta distorcer muitas verdades Bíblicas, como por exemplo, a Páscoa (Pessach), confundindo crianças, jovens e adultos até no meio evangélico, com a simbólica troca de “ovos de páscoa feitos de chocolate”, botados por coelhos, e segundo nos consta o coelho não bota ovos, muito menos de chocolate!


A Páscoa é um símbolo de Amor, cuidado e proteção de Deus por nós. Quando o povo de Deus ainda escravo no Egito, a Páscoa foi estabelecida com o sinal do sangue de um cordeiro esborrifado nos umbrais das portas das casas dos israelitas para que o anjo da morte não atingisse os primogênitos das famílias de Israel.

Duas condições básicas para sermos livres do poder do anjo da morte:
01. Estar dentro da Casa – inseridos no Corpo Místico de Cristo – fazer parte da Igreja Universal dos Santos- lembre-se de Noé e sua família que foram salvos porque estavam dentro da Arca. A Arca é Cristo todo inclusivo, nós precisamos estar inseridos na Sua morte e ressurreição afim de vivermos nossa vida dentro do princípio da vida de cruz; para não ser atingido pelo anjo da morte era necessário que se estivesse em família reunida dentro de casa. Este aspecto fala da nossa comunhão preciosa com Deus e com nossos irmãos, neste tempo de tanta individualidades, tempos em que formamos zonas de seguranças e exacerbado exclusivismo para não permitimos que outros irmãos penetrem em nossas comunhões.

02. Ter o Sangue do Cordeiro passado sobre os umbrais das portas – Ter a firme convicção de ter aceito a cobertura do Sangue precioso do Senhor Yehoshua, que foi derramado na Cruz do calvário. Tê-Lo recebido como Único e Suficiente Salvador e Senhor de nossas vidas. Mesmo se o indivíduo estivesse dentro da casa e não tivesse o Sangue passado nos umbrais das portas, ele não estaria livre da morte.

Então esta duas condições básicas teriam de ser cumpridas, uma e a outra simultaneamente. Hoje a Páscoa se cumpre em nossas vidas quando reconhecemos e aceitamos o Sangue do Senhor Yehoshua Há’Mashyach, o Cordeiro de Deus, como proteção e purificação de nossos pecados. Então a Páscoa não se trata de uma troca de ovos de chocolates botados por coelhinhos. A verdadeira Páscoa é Yehoshua. Celebraremos então o Senhor Yehoshua. Se quisermos ser livres da Morte Eterna, precisamos do Sangue do Cordeiro de Deus que nos protege e nos guarda para sempre. A Páscoa fala de estarmos inseridos na Vida, Morte e Ressurreição do Senhor Yehoshua.

A Páscoa, também chamada SÉDER (ordem) é uma palavra de origem hebraica, PÊSSACH-(PÊÇAR), que vem do verbo hebraico LIFSOACH AL, significando passar por cima ou passar poupando, tal como aparece na King James Version (A Versão Inglesa do Rei Tiago) "PASS OVER", surgiu conforme registra a Bíblia em SHEMOT (Êxodo) 12, no ano de 1500 antes da E.C, em GOSÉN, no Egito, nos últimos instantes que precederam a saída do povo judeu, após 430 anos de cativeiro egípcio, para a tão prometida e sonhada ERETZ ZAVAT HALAVE UDEVACHE (Terra que mana leite e mel).

Naquele exato momento, instantes que antecederam a última praga sobre os egípcios, a mortandade dos primogênitos, Deus determinou: "ISH SEH LE BÊITH AVOTH SEH LA BAITH (SHEMOT - Êxodo 12.3"). Um cordeiro HOMEM para cada casa, um cordeiro para cada família. - Observe que, em hebraico, macho é ZARRAH e fêmea é NEKEVA, e no texto citado não aparece ZARRA SEH, um cordeiro macho, mas, ISH SEH, um cordeiro homem.

Deus (YHWH), determinou ainda que cada família deveria tomar o cordeiro, simbolizando um homem (ISH SEH) matá-lo, recolher o sangue numa bacia e pintar as vergas e os umbrais das casas, para que, no momento em que o MALAK HA - MAVET (O anjo da Morte) passasse sobre o Egito para matar os primogênitos, não atingisse aqueles que estivessem nas casas pintadas com o sangue. O anjo passaria poupando da morte o povo que assim houvesse procedido. Porque assim disse Deus: VÊ-RAITÍ ÉT HADAM U-FASSÁRHTI ALEHEM - "E vendo Eu sangue, passarei por cima de vós." - SHEMOT (Êxodo 12.13b).

No capítulo 12 de Êxodo diz que todos os primogênitos do Egito foram mortos. Então, espiritualmente falando, até os primogênitos dos filhos de Israel, também foram mortos. É dai que temos essa grande lição. Entendemos claramente que todos os primogênitos foram mortos naquele dia. Tanto os primogênitos Judeus como os Egípcios. Isto não é uma heresia. Deixe-me provar em tese esta afirmação. Quando o Anjo da Morte passou pelas casas dos Judeus ele viu o Sangue do Cordeiro, que pré-figurava a morte de todos os primogênitos incluídos em Cristo. Para Deus ter sua ira aplacada só mesmo com a morte, pois o salário do pecado é a morte!!!

Precisamos repensar com muita seriedade acerca das comemorações paganizadas que invadiram nossas congregações e nossos lares e historicamente aceitamos este casamento com o mundo paganizado. Devemos considerar os aspectos espirituais que envolvem a Páscoa e não nos envolvermos com os festejos deste mundo que querem fazer-nos desviar do alvo, da Centralidade de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, O Cordeiro Pascal e da Sua santa e bendita Palavra.

Finalmente, precisamos urgentemente de Restaurarmos as verdades das Sagradas Escrituras afim de não incorrermos nos mesmos erros que muitos irmãos estão cometendo, envolvendo em práticas erradas por falta de conhecimento da Palavra de Deus.


Autor: Aloizio Sousa Arantes


Photobucket

Como comemorar a Páscoa do Senhor?

“Este dia vos será por memorial, e o celebrareis como solenidade ao SENHOR; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.” Ex 12.14



SUGESTÃO - FESTA DE PASCOA

Objetivo:
Ao participar de uma festa da Páscoa, as crianças serão capazes de apreciar
vários costumes durante a época de Jesus. Baseado no Texto Bíblico: S. João – Capitulo 13 – Mateus 26: 17-30

Materiais:
• Toalha ou folha plana de grandes dimensões p/ piquenique
• Bacia para lavar os pés ou as mãos
• Várias toalhas para secar os pés ou as mãos
• Guardanapos, copos e pratos de papel
• Suco de uva
• Pão fatiado
• Fruta, queijo e biscoitos (opcional)
• Almofadas (opcional)
• Talher;
• Copo descartável médio e pequeno

Duração:
De 30 a 40 minutos


Tópicos:
Comunhão, Páscoa, Relacionamento, Sacrifício de Jesus.


Participantes:
Crianças de 02 a 12 anos
PARTE A
Preparação:
Esta atividade pode custar mais do que você tem para gastar. Como sugestão, pode envolver as crianças através da atribuições de determinados itens para que eles, durante a semana possam trazer de casa.

A festa pode ser tão elaborada como quiser, mas as representações são:

1) a bacia com água morna – falar sobre a humildade e comunhão – Jesus lavou os pés dos discípulos – explicar sobre o fato e costume da época – e que este foi o início do dia em que os discípulos celebraram a páscoa com Jesus;
2) o suco e pão representam a comunhão (Certifique-se que nenhum dos filhos é alérgico a todos os alimentos que você estará servindo) explique o que cada um representa e que devemos lembrar desses símbolos até que Jesus volte.

Diga as crianças que, hoje, elas vão celebrar a festa da Páscoa, e será da mesma forma que as pessoas fizeram durante a época de Jesus. Primeiro as crianças têm para tirar os sapatos e colocá-las ordenadamente ao longo de uma parede. Em seguida, explicar para as crianças que durante o tempo de Jesus, era costume lavar os pés antes de se sentar para comer. O professor pode fazer duplas, e em fila, elas lavam e secam os pés uns dos outros (se quiser apenas represente, não precisa colocar água).
Ao fazer esta atividade, explicam que durante o tempo de Jesus, eram os escravos “empregados domésticos” que faziam essa tarefa, lavavam os pés dos visitantes e amigos antes de entrar nas casas, porque as pessoas normalmente andavam em estradas de terra. Embora o resto de seu corpo fossem limpos, seus pés estavam empoeirados. Quem gosta de ver os pés empoeirados, enquanto se come? Jesus lavou os pés dos apóstolos para demonstrar como devemos ser servos uns dos outros. Ele disse a Pedro "Se eu não te lavar, não tens parte comigo." (João 13:8) Jesus foi um verdadeiro servo de Deus. Jesus sabia que iria lavar nossos pecados com seu próprio sangue.

Leitura Bíblica: João 13:1-17 (Jesus lava seus discípulos pés)

(Parte B):

O que você vai fazer:
Coloque uma folha grande ou toalha no chão para que todos possam sentar. Peça às crianças para sentar-se em um grande círculo, enquanto outros voluntários estabelecidos distribuem os pratos, guardanapos e copos para cada criança. Coloque os alimentos no meio, em seguida, ler a seguinte passagem da Bíblia.

Leitura Bíblica: Mateus 26: 17-30 (Ceia do Senhor)

Depois de ler as escrituras, quebre um pedaço do pão, em seguida, passar o pão em torno de cada criança para quebrar um pedaço de si. Explique que quando Jesus partiu o pão da mesma maneira e deu graças por isso, Ele disse: "Tomai e comei, este é o meu corpo."
Dê graças a Deus pelo pão. Em seguida, deitar um pouco de suco em cada copo, e explicar que quando Jesus deu graças e bebia do seu copo, Ele disse: "Bebei dele todos vocês. Este é o sangue da Aliança que é derramado por muitos para a remissão dos pecados ". Dê graças a Deus pelo suco. Então temos uma festa, comer e apreciar a comida ao discutir a relação entre a celebração da Páscoa e do sacrifício de Jesus para nossa salvação.

Photobucket

Lembrancinhas







SACOLAS COM SUCO DE UVA, PÃO CASEIRO E UMA FOLHETO COM FIGURAS SOBRE AS DUAS PÁSCOAS DENTRO.



x_3c154df8

Nenhum comentário: